Formas de Imigrar para Portugal: Qual é a sua?

Portugal é um daqueles destinos que o Brasil tem inúmeras relações e acordos que facilitam muito a vida de quem quer imigrar – isso tudo sem falar que temos a mesma língua mãe, né? Apesar de muita gente achar que eu vim para cá em 2016 por causa da facilidade do idioma, como é a opção da grande maioria dos brasileiros, mas a verdade é que escolhi pela forma como o Mestrado é organizado por aqui. Mas calma, esse é papo para ooooutro dia!

Hoje eu quero falar contigo sobre as formas de imigrar para Portugal. Mas antes disso, se você quiser só visitar como um turista, deixa eu te contar como você faz! 

“Eu preciso de visto para ir turistar em Portugal?”

AINDA não. Por que o “ainda”? Por que está previsto que, a partir 2023, haverá a obrigatoriedade do visto ETIAS para brasileiros que vierem turistar pelos países dentro do Espaço Schengen. Não sabe o que é isso? É um acordo entre 26 países em que entre eles não há controle de fronteiras internas!

Então, o que eu preciso para entrar em Portugal enquanto turista?Quando você chegar por aqui, você vai ter que passar pela imigração e, em geral, vão pedir para ver o seu Passaporte (até para te dar o teu sonhado carimbinho) e pronto. Maaaas, está no direito do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), órgão responsável aqui em Portugal por isso, pedir a você:

  • Passaporte com validade mínima superior a 6 meses;
  • Comprovativo de viagem (ida e volta);
  • Comprovativo de alojamento – caso você fique hospedado na casa de um amigo, pode pedir uma carta de próprio punho e, se possível, com assinatura. Ah! Não esquece de anexar uma cópia do documento da pessoa. Pode ser passaporte estrangeiro + título de residência válido; cartão cidadão português; documento da UE + atestado de residência e/ou registo na Câmara;
  • Algum comprovativo de vínculo laboral ou atividade profissional no Brasil (patronal, pública ou privada) – isso é para que eles saibam que você tem vínculos com o país de onde veio e voltará, mais cedo ou mais tarde;
  • Comprovativos de meios financeiros (são 75€ por cada entrada no território nacional + 40€/dia de estadia no país). Por exemplo, se você permanecesse durante 15 dias, seriam necessários 675€ que podem ser em dinheiro, travelers cards ou cartões de crédito internacionais. OBS: esse item pode ser dispensado pela autoridade do SEF caso haja uma carta convite ou termo de responsabilidade emitido por cidadão português ou estrangeiro que disponha de título de residência, autorização de permanência, visto de trabalho, estudo, estada temporária, válidos, e que se comprometa com a alimentação e alojamento do interessado.

Sobre imigrar, você pode ir como estudante!

Aqui nós já temos 3 dicas em uma, tá? Porque você pode vir enquanto estudante de graduação, mestrado ou doutorado. Os tipos de visto neste caso se alteram, mas não vamos entrar em tantos detalhes assim nesse post.

É possível vir para Portugal como bolsista na graduação (que aqui eles chamam de licenciatura apesar de não ter nada a ver com a nossa licenciatura), fazer o mestrado aqui (como eu fiz) ou o doutorado (que eles chamam de “doutoramento”). Ah! Quase esqueço. Aqui eles têm uma modalidade também chamada “Mestrado Integrado”, que basicamente junta a graduação e o mestrado e você já sai mestre. WHAAAT? Sim, pasme, é real!

Uma das oportunidades que quero só pincelar para vocês é a Bolsa Santander Íbero-Americanas que é uma ótima forma de você viver um intercâmbio de 6 meses por aqui, experienciar e ver se você gostaria de fazer alguma outra experiência mais longa por aqui.

O Mestrado que eu vim fazer, tem duração integral de 2 anos e o Doutorado, de 3 anos. Depois, se vocês se interessarem, posso contar como foi a minha experiência por aqui! Conta nos comentários se você se interessaria em saber ;)

Tem um(a) cônjuge que quer vir estudar e não sabe se pode vir junto?

Essa é a 3ª forma de vir! Essa opção se chama Reagrupamento Familiar e, basicamente, a partir de uma série de itens, se você e seus dependentes se encaixarem, vocês ficam em Portugal atrelados ao título da pessoa. Ex: Em linhas gerais e dando uma meeeega enxugada, imagina aí que sou casada e a pessoa vem fazer Doutorado em Portugal. Através do Reagrupamento Familiar, eu fico com o Título de Doutorado também. 

Posso conseguir uma oportunidade de emprego e ir para Portugal?

Claro que pode! O tanto de gente que eu já conheci que vem para Portugal depois de conseguir uma proposta de emprego no LinkedIn não tá escrito. Mas claro que essa quantidade é ainda maior para pessoas que são de TI, por exemplo. O que basta para você fazer o seu visto é realmente ter esse contrato ou promessa de trabalho em Portugal. A sua vaga precisa estar assegurada. Tendo isso e fazendo todos os passos burocráticos, é certeza que vai dar tudo certo – só segura a ansiedade em esperar o resultado do visto sair, ok?

Sou aposentada, quero curtir a vida em Portugal!

Pois muito que bem, mozão! Segundo a pesquisa The World’s Best Places to Retire, que analisou 24 países em 10 categorias diferentes, adivinha qual foi o país vencedor? Acertou quem disse PORTUGAL! O país ganhou em aspectos como cuidados de saúde, clima, alojamento, entretenimento, socialização e desenvolvimento. Tá bom pra você?

Além disso, existem vários outros benefícios como o Acordo de Previdência Portugal e Brasil e o Acordo Iberoamericano. Lembra aquilo que eu disse sobre os vários acordos entre os dois países?

EXTRA: Se você já está pelos países abrangidos pelo programa Erasmus+, que é um programa de intercâmbio entre países participantes e países parceiros (clica aqui para saber quais são). Basicamente, você pode vir estudar ou trabalhar (estágio não remunerado) em Portugal através desse programa de 3 meses a 1 ano. O tempo mais comum que vejo as pessoas ficarem é um semestre. 


Texto: Camila Aldrighi. Mestre Pokémon, dos Magos e em Design Gráfico e Projetos Editoriais. É publicitária e historiadora, mas, sobretudo, uma libriana típica. Acha que absolutamente TUDO é muito interessante – e isso faz com que goste de muitas coisas diferentes. Atualmente mora no Porto, em Portugal, mas aí viajou sozinha e descobriu que pertence mesmo ao mundo. Está sempre pronta para uma boa conversa, espera compartilhar um pouco da loucura de viver sozinha e descobrir alguns lugares do Porto e do mundo com você. E então, vamos? Instagram | Site

A História da Evolução do Intercâmbio

De acordo com o dicionário, história é o conjunto de conhecimentos relativos ao passado da humanidade e sua evolução. O momento que vivemos hoje definitivamente será algo que entrará para a nossa história, mas você sabe exatamente de onde surgiu a ideia do intercâmbio?

Após a 2ª Guerra Mundial (1939-1945) o mundo, esgotado de guerras, percebeu que era necessário que os jovens entendessem e começassem a conhecer e a respeitar as diferenças culturais para poder conviver em paz, e a partir desse momento, teve início o intercâmbio cultural.

No Brasil, existiam pouquíssimas organizações que realizavam esse tipo de viagem de estudos. Somente filhos de pais muitos ricos viajavam para estudar no exterior, existia a premissa de que o pai precisava preparar seu filho para o mundo.. E isso, perpetuou um tabu muito grande referente ao intercâmbio, onde somente pessoas que tinham muito dinheiro poderiam realizar esse tipo de viagem. 

No início, quem incentivava as viagens eram os professores de inglês, que viam a necessidade do estudante aprimorar o idioma e realizavam grupos para levar esses jovens para o intercâmbio. 

Se hoje temos a tecnologia ao nosso favor, antigamente os consultores de intercâmbio ao invés de mostrarem a localização do país/cidade no Google Maps, precisavam utilizar o Atlas. E se hoje você consegue saber tudo sobre seu destino, antes tudo era literalmente uma surpresa… as pessoas só sabiam detalhes, por conta de relatos de outras pessoas que já haviam viajado. 

O processo também era muito mais complexo e longo, o custo de telefonemas internacionais entre pais e filhos eram muito caros, então a comunicação toda acontecia por cartas… não existia o cartão pré-pago, todo dinheiro era levado em espécie, o que acabava tendo mais riscos. 

A popularização do intercâmbio no Brasil aconteceu a partir do momento que as agências de intercâmbio se profissionalizaram e passaram a oferecer uma grande variedade de programas, além do parcelamento, viabilizando a viagem para todas as classes sociais.

Saiba mais sobre a belta em www.belta.org.br 

ESSA POSTAGEM É PATROCINADA PELA BELTA.
UMA VEZ POR MÊS A ASSOCIAÇÃO CONTARÁ COM UM POST NESTE SITE.

 

5 motivos para fazer Intercâmbio com Agência

Desde 2015, a Belta – primeira Associação de Agências de Intercâmbio no Brasil, instituiu o Selo Belta, um selo de qualidade para as agências de intercâmbio que comprova suas condições técnicas e saúde financeira, além de apresentar diversas cartas de referências de suas acreditações para comprovar sua idoneidade no mercado brasileiro.

Um dos principais motivos antes de iniciar nossa lista é a importância das agências de intercâmbio que empregam milhares de brasileiros e contribuem para nossa economia funcionar. Só para você ter uma ideia, a Belta representa 75% do mercado de educação internacional, em números…estamos falando de mais de 600 agências de intercâmbio entre franquias e pontos de vendas!

Agora que você já sabe um dos motivos extras, veja os 5 motivos do porquê você deve escolher fazer o seu intercâmbio com uma agência:

  1.       Segurança: você está protegido pela lei do consumidor

As agências de intercâmbio são responsáveis legalmente por tudo que vende quando você assina seu contrato, por isso, é importante ter o acompanhamento de uma agência séria, que cuidará desde o seu curso, passagens até sua acomodação. Leia atentamente seu contrato, nele, há cláusulas importantes como multa por cancelamento e detalhes do pacote. Lembrete: imprevistos podem acontecer. Entender se terá prejuízo caso desista de realizar a viagem e/ou precise postergar são importantes antes de assinar.

  1.       Atendimento de um profissional especializado

O profissional deve já ter experiência no destino escolhido por você e/ou treinamentos e informações completas sobre o pacote como um todo. Ou seja, perceba o grau de instrução, os detalhes que ele te passar sobre preço, hospedagem, aéreo… enfim tudo pertinente para a realização do intercâmbio. Os agentes da Belta são treinados periodicamente para oferecer um serviço de qualidade.  Fique atento se a agência é certificada pela Belta.

  1. Um mundo de opções!

As agências Selo Belta representam instituições sérias e isso evita surpresas desagradáveis como, por exemplo, a escola e a acomodação serem bem diferentes do que você leu na internet. Além disso, as agências têm diversas opções de escolas e vão te oferecer a que mais se encaixa no seus objetivos seja em qualidade ou em orçamento.

  1.       Suporte no pré, durante e pós viagem

Sentir aquele frio na barriga antes de embarcar, é super normal, mas é muito importante que você esteja se sentindo seguro e confortável durante toda sua experiência. Por isso, as agências Belta oferecem um suporte antes do seu embarque, durante a sua viagem e no seu retorno. Durante a pandemia, muitas agências auxiliaram estudantes que estavam fora do país a retornarem ao Brasil com segurança. 

  1.       O intercâmbio é personalizado

Se você ainda tem muitas dúvidas quanto ao país de destino ou sobre o curso, a agência de intercâmbio irá se atentar a todos os detalhes para oferecer a você uma experiência que combina com o seu perfil, desde pequenos detalhes como fazer perguntas sobre seus gostos, para ver se você se dá melhor em destinos com neve ou sol, por exemplo, até as melhores opções de cursos, tempo para aprender o idioma, escolas e acomodações. Tudo será pensado para combinar com o seu planejamento financeiro e seus gostos pessoais.

Saiba mais informações em www.belta.org.br ou envie um e-mail para [email protected]

ESSA POSTAGEM É PATROCINADA PELA BELTA.
UMA VEZ POR MÊS A ASSOCIAÇÃO CONTARÁ COM UM POST NESTE SITE.

Como a Associação Belta ajuda Intercambistas Brasileiros?

Planejar uma viagem de intercâmbio não é uma tarefa fácil. Escola, acomodação, destino, financiamento e agência de intercâmbio são algumas das etapas que definem uma viagem de sucesso, ou apenas muita dor de cabeça.

Para que essa experiência seja apenas positiva, a Associação Brasileira de Agências de Intercâmbio, a Belta, tem como objetivo principal conectar, proteger e informar estudantes brasileiros que decidem embarcar no intercâmbio.

No mundo de fato ou fake, além de fornecer informações corretas ao consumidor brasileiro e futuro intercambista, a  Belta atua frente às instituições de ensino, governos e embaixadas e também atesta a idoneidade das agências associadas que recebem o Selo Belta representando segurança e qualidade na prestação de serviços.

E como a Belta faz isso?

A Belta possui parcerias com instituições de ensino do mundo todo, elas estão presentes no site como Associadas Colaboradoras, com os governos e embaixadas de países como Canadá, Estados Unidos, Irlanda, Reino Unido, Austrália, Nova Zelândia, Malta, França, Espanha, dentre outros… e também, empresas que oferecem serviços que são indispensáveis para o seu intercâmbio. 

Além disso, para uma agência de intercâmbio se tornar uma Agência Selo Belta, ela passa por um rigoroso processo de filiação onde precisa preencher vários requisitos obrigatórios. Todas as agências associadas recebem o Selo Belta que o denomina como uma “agência com excelência em intercâmbio”.  

A modernização da identidade visual da associação foi o primeiro passo para uma série de novidades que a Belta está promovendo, perfil no Instagram repleto de informações essenciais para a realização do seu intercâmbio e o lançamento do quadro “Fato ou Fake?”, uma brincadeira divertida que desafia você a desvendar o que é verdade e o que é mentira no mundo do intercâmbio.

Esse quadro também foi uma inspiração para a criação do Grupo de Facebook Fato ou Fake Intercâmbio, que tem como objetivo desmistificar as fake news existentes em diversos lugares, com a participação dos representantes dos governos e embaixadas. Em breve, teremos bate-papos dentro do grupo para tirar todas as dúvidas em relação aos países. Se você ficou interessado e quer fazer parte do grupo, clique aqui e não perca essa oportunidade. 

E para o mês de março, a Belta estará lançando sua nova revista, a ei! Educação Internacional, que trará diversas matérias sobre os programas (curso de idiomas, estudo e trabalho, high school, graduação), o que esperar desse “novo normal” para o seu intercâmbio e informações sobre os principais destinos para sua viagem de estudos no exterior. Fique ligado no Instagram Belta e corra para pedir sua revista e recebê-la gratuitamente no conforto da sua casa!

Intercâmbio Selo Belta, Intercâmbio Seguro

Empresas certificadas no mercado de educação internacional sabem que as responsabilidades vão além da venda e por isso garantem qualidade e suporte durante toda a experiência, podendo ainda ajudar sempre que for necessário, durante a viagem e na solução de eventuais necessidades que o intercambista venha a ter. 

A agência também auxilia na escolha do destino (com base em detalhes como o clima de preferência do estudante) e afina os aspectos culturais do destino com o que busca o cliente e explica com detalhes a grade de horário das aulas.

Uma boa agência tem referências da escola com base em experiências de outros alunos que já tenham estudado lá ou mesmo através de visita técnica à instituição. Outra coisa importante: o preço passado ao estudante é um valor tabelado, feito pela escola para todas as agências.

Preciso de uma agência?

É equivocada a ideia que comprando direto com a escola, sem intermédio de uma agência no Brasil, o gasto será menor. Pelo contrário: além de seguirem leis de proteção ao consumidor no Brasil, com base no Código de Defesa do Consumidor, as agências têm contratos de parceria e de representação das instituições com as quais trabalham que oferecem valores diferenciados.

Através do site www.belta.org.br é possível entrar em contato com as agências associadas à Belta, cujos agentes são treinados para não deixar que nenhum tipo de contratempo estrague a viagem.

Essa postagem é patrocinada pela BELTA.
Uma vez por mês a Associação contará com um post neste site.

Perdendo o medo de viajar com a Worldpackers

O seu sonho é ter uma experiência fora do país, mas você tem medo? Então você precisa conhecer a Worldpackers, uma plataforma brasileira de viagem com foco em experiências de voluntariado. Através dela, você pode se conectar com anfitriões do mundo inteiro, e encontrar oportunidades em que você troca as suas habilidades por hospedagem. Seja para reduzir os custos da sua viagem, ter uma imersão na cultural local ou simplesmente fazer um intercâmbio. Você encontra tudo isso no site deles! São hostels, pousadas, ONGs, comunidades e projetos ecológicos em mais de 100 países onde você pode ajudar em troca de hospedagem e alimentação.

Como funciona a Worldpackers

“Viagens mudam pessoas. Pessoas mudam o mundo”. Esse é o slogan da Worldpackers, que traduz a essência da empresa e o principal objetivo deles, que é proporcionar experiências transformadoras através de viagens. Diferente de quando você fecha um pacote através de uma agência, a Worldpackers te garante uma experiência autêntica: de que outra forma você seria recebido por locais, de maneira segura e divertida? Com as vagas de voluntariado oferecidas por eles, é possível criar uma conexão com comunidades locais e desenvolver habilidades na prática como aprender a cozinhar, surfar ou até ensinar inglês para crianças. É uma excelente oportunidade para se abrir para outras realidades de vida, novas culturas e praticar o altruísmo.

Dentro do site, existe um sistema de avaliação: todos os anfitriões e viajantes podem comentar e avaliar as suas experiências, tornando tudo muito transparente e seguro. Para ter acesso às oportunidades, você deve se tornar membro, com pacotes que variam de 39 a 99 dólares ao ano ou 29 a 89 dólares com o meu código de desconto MIALVES. Veja alguns exemplos de vagas que você pode se candidatar:

Lá dentro, tudo funciona de maneira colaborativaa plataforma é feita por viajantes do mundo inteiro e por experts no assunto. São mais de 2 milhões de pessoas de 195 países compartilhando relatos todos os dias através das avaliações das suas experiências e de conteúdos variados em forma de artigos e vídeos. Você vai encontrar roteiros de viagem, tutoriais para arrumar a mochila, estratégias para aprender um novo idioma, e muito mais.

A Worldpackers ainda conta com uma equipe de suporte para tirar as suas dúvidas antes, durante e depois da sua viagem. Se, por qualquer razão, o anfitrião não respeitar o que foi combinado previamente (a contar da data de chegada), você pode acionar o Seguro Worldpackers, no qual a plataforma te ajuda a encontrar outro anfitrião nas proximidades para que você possa trocar suas habilidades por hospedagem. Caso não seja possível realocá-lo, você terá até 3 noites de hospedagem pagas em outro hostel, em um quarto compartilhado, previamente selecionado na mesma cidade.

Se o seu sonho é ter uma experiência no exterior, mas você tem medo, nada melhor do que conversar com pessoas que já fizeram isso ou que são experts no assunto. Dentro da plataforma, além de poder conversar com os viajantes através de mensagens privadas, você pode navegar nas dicas da comunidade em sessões organizadas por tópicos, como Primeira Viagem ou Viajar Sozinho. Também existe um guia colaborativo para mulheres que desejam viajar sozinhas, onde você vai encontrar relatos inspiradores escritos por mulheres que utilizaram a plataforma Worldpackers dando dicas práticas sobre os lugares mais seguros para viagens solo ou incentivando mais mulheres a se lançar em uma aventura.

Sabemos que uma viagem para o exterior pode parecer distante nesse momento, com a situação da pandemia e o aumento do dólar. Uma boa dica é viajar pelo Brasil, para ter uma experiência de voluntariado e fazer um teste, sentir se esse tipo de viagem faz sentido para o que você está buscando. Também é uma boa maneira de perder o medo e se lançar em novas aventuras, entrar em contato com outros viajantes e ampliar os horizontes. Existem milhares de oportunidades incríveis na Worldpackers que são dentro do Brasil, e podem ser o gatilho para a sua próxima viagem para o exterior.

Viajar sozinha é pra mim?

Mesmo vendo o exemplo de muitas mulheres desbravando o mundo sozinhas, você pode pensar que isso não é para você. É normal sentir medo antes de cogitar um mochilão ou até mesmo fazer um intercâmbio sozinho, principalmente para nós, mulheres. Comentários como o famoso  “mas você vai sozinha?” ajudam a reforçar o nosso medo e alguns preconceitos. Não deixe isso se tornar um impeditivo, pois as recompensas de uma viagem solo são maiores do que qualquer medo que possamos ter. Existem inúmeras formas de se preparar, e você pode encontrá-las com a ajuda de outros viajantes.

Entre os principais medos de viajar, o campeão entre mulheres está relacionado à segurança pessoal. Repetidas vezes, esse medo nem é nosso, mas de outras pessoas. Geralmente vem de pessoas que não estão acostumadas a viajar, e acabam passando o medo que elas sentem para você. Por isso, reflita sobre o quanto é real esse receio que está dentro de você em torno de uma viagem. Quantos desses medos são seus? 

Procure conversar com pessoas com os mesmos interesses que você, e que vão te incentivar de alguma forma. Busque se informar sobre o país para onde você quer viajar, pesquise no Google, leia livros e converse com outros viajantes. Ao entender um pouco da cultura e dos costumes de outros povos, você já vai estar mais preparado e menos propenso a passar por dificuldades. Esses conhecimentos vão te dar confiança para chegar em lugar desconhecido e explorar. 

A Jéssica, viajante da comunidade da Worldpackers, fala um pouco sobre isso em um dos artigos que publicou pela plataforma contando sobre a sua viagem solo para a Europa. Ela conta que teve uma experiência positiva, depois de entender aspectos da cultura e se planejar bem, o que a ajudou a se sentir mais segura. Além disso, ela ensina diversas estratégias para programar a sua viagem e também conta o quanto esse movimento começar a viajar sozinha a transformou.

Outro medo comum de quem nunca viajou sozinho é sobre não falar o idioma local. É claro que as coisas vão ser menos complicadas se você souber falar algumas palavras básicas, mas não pense que você precisar ter um inglês perfeito para ir para os Estados Unidos, por exemplo. A aprendizagem de um novo idioma pode ser, inclusive, um motivador para iniciar a sua viagem e entrar em contato com uma cultura diferente. Quando você chegar no destino, vai perceber que ninguém se importa com o seu sotaque e com os erros cometidos. Pode ser muito mais divertido aprender inglês saindo com a galera, surfando ou organizando eventos do que em uma escola!

A Worldpackers Academy

Uma ferramenta que você pode utilizar para te auxiliar a lidar com o medo e a preparação da viagem é a Worldpackers Academy. Esse é um dos planos existentes dentro da plataforma, que oferece mais de 500 aulas produzidas por viajantes experts e criadores de conteúdo do mundo das viagens. Com vídeos curtos e direto ao ponto, você vai se inspirar e desenvolver novas habilidades que podem te auxiliar na perda do medo e abrir caminhos para novas experiências. 

Quem tem medo costuma colocar muitos obstáculos no caminho. Por exemplo, dizer que não tem dinheiro para viajar, que é perigoso, que viajar em casal não dá certo. Com os cursos da Academy, vários perfis diferentes de viajantes vão quebrar todos mitos em torno de viagens, e te dar dicas práticas do que fazer para se jogar na estrada.

Esses cursos servem tanto para uma pessoa que quer empreender viajando, quanto para alguém que quer planejar uma viagem e não sabe por onde começar. São mais de 50 horas de aulas disponíveis, com conteúdos variados que te ensinam desde aprender um novo idioma até como construir um negócio próprio de viagens. Dentre as mulheres que produzem conteúdos, estão a Mary Teles do Vida Mochileira, a Luisa Ferreira, do Janelas Abertas e eu! Toda semana, a plataforma é alimentada com conteúdos novos e exclusivos. E você pode aproveitar todas as primeiras aulas de cada curso de graça!

O meu curso foi lançado recentemente e trata-se de 5 aulas para te ajudar a criar o roteiro de viagem perfeito.  – Nesse curso você irá aprender a fazer um roteiro de viagem do zero, desde a escolha do destino até colocando tudo em prática em uma planilha completa que irá te guiar durante todo o planejamento!

Alguns exemplos de outros cursos e conteúdos que você encontra por lá:

Como planejar um mochilão para qualquer lugar do mundo – Nesse curso, Bruno Veloso da Duckpackers, ensina a organizar um roteiro, fazer planejamento financeiro e encontrar as melhores promoções de passagens para tirar a sua viagem do papel.

Como superar os medos relacionados a viagens – Curso elaborado pela comunidade de viajantes, em que várias mulheres falam sobre diferentes medos como não saber falar o idioma local e a segurança de transitar em outros países.

Como aprender um idioma através da imersão cultural – Viajantes ensinam métodos para você se desenvolver e se aperfeiçoar em um novo idioma sem precisar entrar em uma sala de aula.

Viagens e Empoderamento Feminino – Conheça a história de algumas mulheres e a sua jornada pessoal utilizando viagens para se desenvolver.

Como criar e monetizar um blog de viagens – Nesse curso, a autora Luisa Ferreira do blog Janelas Abertas, ensina um passo a passo para criar um blog de viagens e alcançar independência financeira através dele.

Como viajar e trabalhar através do seu Instagram – Mary Teles do Vida Mochileira ensina a transformar o seu Instagram na sua principal fonte de renda.

Conheça os planos da Worldpackers

Se interessou por fazer uma experiência de voluntariado? Então dá uma olhada nos planos oferecidos por eles, de acordo com o seu momento. Você encontra informações mais detalhadas no site. Para todos os pacotes, você pode utilizar o meu código de desconto MIALVES.

WP Academy
Valor: US$ 39,60 / R$ 232,80

Está começando a planejar a sua viagem e quer perder o medo com a Worldpackers? Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, além de poder entrar em contato com outros viajantes da comunidade. Válido por 6 meses.

WP Trips
Valor: US$ 49 / R$ 288,06

Já está com a mochila pronta para viajar? Então use esse plano, e candidate-se para as vagas de voluntariado e converse com os anfitriões. Válido por 1 ano e 6 meses.

WP Pack
Valor: US$ 99 / R$ 582

Nesse plano, além de poder acessar todo o conteúdo da Academy, você também têm acesso às vagas de voluntariado e pode entrar em contato com os anfitriões. Válido por 1 ano e 6 meses.

Minha dica: se inscreva no Academy para aprender a planejar o seu roteiro, a criar novas habilidades e entender mais desse mundo de viagens (Pagando U$29,00 com o meu código), e antes dos 6 meses de plataforma de curso acabarem, você faz um upgrade para o WP Trips pagando apenas a diferença de U$9.60. Assim, você terá acesso à plataforma por 1 ano e meio para escolher e fazer vários trabalhos voluntários pelo mundo!