12 destinos baratos para você mochilar em 2018

O Hypeness, que é um site incrível e sempre traz matérias legais, selecionou doze destinos para você desbravar o mundo com a mochila nas costas em 2018. Então, para aqueles que colocaram na wishlist “fazer um mochilão”, vale dar uma conferida!

1. México

Um país enorme e repleto de história, o México tem atrações para diversos tipos de viajantes. Apaixonado por surf? Puerto Escondido tem ótimas ondas. Gosta de sombra e água fresca? Que tal Cancún ou Playa del Carmen? A história fica por conta das muitas zonas arqueológicas e ruínas de civilizações pré-hispânicas espalhadas pelo país. Simplesmente apaixonante! (Gente, convenhamos que essas praias dão uma vontade de largar tudo e ir né? Lindo!)

2. Bolívia

Além de barata, a Bolívia também é pertinho do Brasil, o que garante economia com as passagens – os mais aventureiros podem até mesmo arriscar viajar de carro ou ônibus. Seja em La Paz ou no Salar de Uyuni, a Bolívia tem tudo para ser um destino de viagem maravilhoso e muito econômico. (Ei Bolívia, eu já sou sua fã!)

3. Nicarágua

Se a vizinha Costa Rica costuma ser cara, a dica é rumar para a Nicarágua. O país oferece atividades bastante similares e preços muito mais em conta. Experiências como escalar um vulcão ativo ou passear pela charmosa cidade colonial de Granada são do tipo que ficam na memória de qualquer um. (Nunca tinha pensado em Nicarágua, mas dando uma ~glooglada~ com toda certeza se mostrou um destino tentador!)

Na Europa

4. Romênia

Uma das estradas mais incríveis do mundo pode ser visitada na Transilvânia romena – e os mais curiosos podem aproveitar o passeio para conhecer o antigo castelo do Drácula. Com um turismo ainda pouco explorado, uma economia que ainda não aderiu ao euro e muitas paisagens incríveis, a Romênia merece entrar para sua lista de destinos. (Já pensou se no meio do passei ao castelo o Drácula aparece?)

5. Portugal

Quer coisa mais fácil do que viajar para um país que fala a nossa língua e que ainda por cima é mais econômico do que a maioria das cidades brasileiras? Sim, Portugal está com tudo e foi eleito o melhor destino do mundo em 2017. (Portugal tem meu coração, deve ser pelas minhas origens! E para aqueles que são inseguros em viajar logo de cara para um país que têm um idioma diferente, que tal começar por Portugal?)

6. Croácia

Faz alguns anos que a Croácia despontou como um dos países queridinhos dos brasileiros que viajam à Europa em busca de destinos menos convencionais. Paisagem de várias cenas de Game of Thrones, repleta de praias incríveis e cidades históricas idem, o lugar é de deixar qualquer um apaixonado. (Olha, eu tive uma amiga que viajou pra lá e me mostrou cada foto maravilhosa! A água é cristalina daquelas que você vê o seu pé o tempo inteiro!)

Na Ásia

7. Laos

Com um clima mais autêntico do que as vizinhas Tailândia e Vietnã, o Laos é um país acessível para viajar e possui uma ótima infraestrutura turística. Normalmente, é possível reservar um bangalô pelo equivalente a apenas US$ 10 em algumas das principais cidades do país. (Olha só que incrível!)

8. Nepal

De trekking no Himalaia (que podem ser feitos por conta própria) a safáris e visitas a templos, o Nepal promete ser um destino de viagem econômico e muito interessante.

9. Indonésia

Bali já está entre os destinos mais conhecidos dos apaixonados por praias, mas a Indonésia tem muito mais a oferecer – e outras regiões prometem preços incrivelmente baratos longe das hordas de turistas.

Na África

10. Marrocos

Um destino de fácil acesso para quem está viajando pela Europa, o Marrocos permite conhecer uma cultura bastante diferente da nossa. Diversos hostels econômicos e renovados são perfeitos para uma viagem com orçamento baixo. Quem busca um pouco mais de conforto irá encontrá-lo nos típicos riads marroquinos, que podem ser reservados por cerca de R$ 100 a noite por casal. (UAUUUU!) 

11. Egito

De acordo com o site Quanto Custa Viajar, o Cairo é uma das cidades mais baratas do mundo para viajar – uma viagem do tipo mochileiro sai por cerca de R$ 50 por dia apenas. (Mete a egípcia e vai!)

12. África do Sul

Embora não seja extremamente econômico, o turismo na África do Sul tem também muitas opções baratas. Os gastos com acomodação e comida não costumam ser elevados, o que permite manter um orçamento dentro dos limites – e se mimar pagando algum passeio que você queira muito fazer, por exemplo! (Talvez para esse destino você deva economizar um pouco mais, mas olha, vale a pena!)

E aí, algum desses destinos já estão na lista de vocês?

Fonte: Hypeness

 

Como estudar inglês em casa

Olha, eu sei. Curso de inglês tá caro, ou as vezes você até acha um com preço camarada mas mesmo assim não bate no orçamento. Acontece, é normal, ta bom? Então hoje eu vou te dar algumas dicas minhas que venho utilizando a mais ou menos 4 meses para estudar inglês em casa, e melhor, de graça.

MÚSICAS

As músicas estão nos cercando desde quando nascemos, e com certeza músicas estrangeiras fizeram parte disso. Uma coisa que eu tenho feito é brincar de karaokê. É sério. Eu procuro no YouTube o nome da música, seguido da palavra “lyrics“. Aí vai vir a música com a letra, tipo o karaokê mesmo. E assim, eu leio e canto muito feliz! E vou anotando em um caderno palavras que eu desconheço pra depois procurar o significado.

SERIADOS

Poderia ser filme também, mas filmes são mais longos e as vezes a gente precisa de um respiro. Eu escolhi um seriado neutro, desses de histórias cotidianas para treinar meu inglês. Eu vejo um capítulo com legenda em inglês, e um capítulo sem legenda. Assim, vou treinando a minha leitura, e também a minha audição. Aqui também vou anotando as palavras que não reconheço.  É legal colocar sem legenda porque você se força a ouvir, a gente se prende a legenda e muitas vezes “desligamos” o ouvido, assim você se forçará a tentar entender. Indico os seriados: F.R.I.E.N.D.S, Modern Family, Full House…

NOTÍCIAS

De vez em quando procuro sites de notícias em inglês, ou revistas, e leio uma matéria. É importante você ter contato com vocabulários novos, então ler coisas de nichos diferente é bem interessante.

CONVERSAR SOZINHA

Não, eu não sou louca. É sério. Eu crio diálogos do cotidiano comigo mesma e falo sozinha em voz alta. Por exemplo, crio alguma situação que estou no mercado procurando alguns ingredientes, e vou imaginando a situação, falando o nome dos utensílios, falando o nome dos produtos, fingindo que estou pedindo informação.

CURSOS ONLINE FREE

Eu sempre estou em busca de cursos online de graça, porque acredito que sempre tem uma gramática pra aprender. E na semana passada fiquei muito feliz com o curso que eu encontrei, são 30 aulas, com direito a atividades para você treinar. Vai desde coisas mais simples até coisas do dia a dia. O curso é da professora Elen Fernandes e ela é muito objetiva na aula e mostra situações do cotidiano e algumas dicas, se te interessar é só clicar aqui.

Essa são as principais coisas que eu faço para treinar o meu inglês, você tem alguma tática? Uma tática que já ouvi que é muito legal é você colar post-it nas coisas pela casa, com o nome em inglês!

Como escolher o destino do seu intercambio

Desde que me conheço por gente, e tenho a consciência que o meu sonho é viajar por esse mundão afora, venho pensado no meu primeiro intercâmbio. E nessas indas e vindas dos anos, já mudei o destino diversas vezes. E hoje vim compartilhar com vocês algumas dos pontos que pensei durante esses anos.

IDIOMA

Por mais óbvio que seja, você deve priorizar o idioma que você quer aprender. Tem pessoas que sonham em ir para diversos lugares, mas não para aprender a língua local. Então o primeiro fator é escolher que idioma você quer.

CLIMA

Bom, eu amo sol, verão e praia. Porém, não me importo de viver em climas frios e chuvosos. Eu moro em uma cidade que tem as 4 estações em um dia, então eu tenho um “aviso prévio” de como são os lugares assim. Claro, eu não sou uma pessoa que pode ir morar na Suíça, não sei como meu corpo funcionaria em um lugar que faz vários graus abaixo de zero. Mas você dar uma olhada no clima local é sempre importante, para você ter uma noção do que você irá enfrentar.

PERMISSÃO DE TRABALHO

Se você quer ficar mais que três meses já é interessante você procurar destinos que você possa trabalhar, porque caso você não tenha alguém para te sustentar, você terá que pagar as contas! Por mais que em alguns lugares você tem um valor obrigatório para levar, o dinheiro pode acabar e você precisa estar preparado para colocar a mão na massa!

VIAJAR

Eu sou da premissa que quantos mais lugares você conhecer, mais culturas você irá encontrar. Escolher um destino que te proporcione a conhecer mais países é legal levar em consideração também. Por exemplo, se você for para os EUA você conhecerá diversos estados, mas se você escolher algum destino da Europa você poderá conhecer diversos países.

INVESTIMENTO

No fim das contas, esse é o item que mais pesa. A ansiedade cresce, a vontade de viajar também. Existem lugares que tem preços muito mais caros do que outros. Mas, se o destino dos sonhos for o mais caro, vale a pena se programar e juntar  uma grana legal para atingir o seu objetivo. A gente consegue tudo o que batalhamos para conquistar!

Alguns desses itens eu abdiquei porque a gente vai juntando o útil e o agradável, né? O importante é pesquisar. Sério, até não dar mais. Você encontra informações importantíssimas na internet, em canais do youtube, em sites específicos. Nunca se canse de pesquisar, porque qualquer conhecimento é importante para a decisão final.

Até a próxima!

3 dias em Curitiba

Uma das cidades que eu mais gosto do Brasil (das que eu conheci, claro) é Curitiba! Eu amo o planejamento urbano deles, as construções super tecnológicas misturadas com construções mais antigas. Amo a cultura que a gente encontra pelas ruas e principalmente, amo os pontos turísticos!

Eu já fui para Curitiba algumas vezes, então você não vai encontrar nesse meu roteiro lugares como Jardim Botânico, Parque Tanguá, Museu do Olho, etc. Mas vamos lá que vou contar para vocês como foi essa última mini trip que eu fiz com o meu namorado, lembrando que fomos de ônibus até lá e só utilizei uber e o famoso pezão (sim, andei que nem uma louca)!

SEXTA

Saímos de Blumenau as 6h45, o ônibus era direto então as 10h20 nós já estávamos na rodoviária de Curitiba. A viagem é super tranquila, eu dormi praticamente a viagem toda (vantagens de ir cedo). Chegamos morrendo de fome, então enquanto o nosso airbnb não estava pronto para chek-in, fomos em uma padaria que ficava bem na frente. É sempre bom quando você reservar o seu hotel, ou Airbnb, verificar os lugares que tem pela redondeza (cafés, padarias, restaurantes). Pedi um pão com ovo, e o Bruno pediu um pão com bife. Ah, tomamos uma cerveja!

Após o nosso café da manhã, fomos fazer o chek-in (em outro post vou contar para vocês como foi a minha experiência com o Airbnb)! Nós alugamos um studio, um nome bonito para kitnet. E ele era uma graça. Pagamos R$250 pelo final de semana, já com as taxas. Um dos pontos que eu prezei para escolher qual acomodação reservar, foi a localização. Eu gosto muito de conhecer as cidades a pé, então a localização é uma das prioridades. Após deixarmos nossa mochila no studio, iniciamos o passeio.

Nossa primeira parada foi na rua 24  horas. Que coisa mais  gracinha! A Rua 24 Horas possui uma arquitetura linda, um teto muito fofo e tem opções de lazer, lojas e gastronomia. Como a noite nós iriamos em um rodízio, nesse dia a gente não comeu nada depois do nosso café da manhã (sabe como é né? tem que aproveitar! hahaha). Então curtimos a arquitetura, e sentamos para tomar um chopp! Porque a gente sei de Blumenau, mas o espírito cervejeiro continua.

Após o chope, fomos conhecer uma parte do bairro São Francisco.  No caminho, passamos pela praça Osório e vimos que lá estava acontecendo uma feirinha, como a maior parte dela é gastronômica, e não estávamos comendo pra poupar para noite, anotamos para ir para lá no sábado. Chegando ao bairro São Francisco, e ele me lembrou muito Ouro Preto (se quiser saber sobre a minha viagem para Ouro Preto, clica aqui)! As ruas são uma gracinha, as lajotinhas do chão, e a forma como eram construídos os prédios, parecia que eu estava em terra mineira. Batemos fotos do local, e após um tempo, descobrimos que ali é onde a famosa Feira do Largo da Ordem acontece!

Depois dali, fomos conhecer a Praça Japão. Eu adoro a cultura japonesa, principalmente a forma como as casas são construídas. Quando chegamos na praça, me surpreendi. Eu achei que ela era bem pequena, e que só havia a casa estilo japonesa, mas tem vários lagos, e estátuas da cultura oriental. Depois de conhecer a praça, fomos para o nosso studio para descansar e se arrumar para o rodízio.

Esse restaurante que fomos é especial, o nome dele é Churrascaria Batel Grill. Já havíamos ido em outra ocasião, e dessa vez voltamos! É um restaurante um pouco mais caro, mas para ocasiões especiais vale a pena. O restaurante é rodízio de carnes, rodízio de massas, sushi e um buffet de saladas incrível! O meu favorito foi o risoto de funghi deles, é demais, eu devo ter pego todas as vezes que passaram na nossa mesa! Depois dessa jantar maravilhoso, o que nos restava era dormir para o próximo dia!

SÁBADO

No sábado não tínhamos feito um roteiro específico. Apenas desbravar as coisas sem rumo, para nos surpreender. O Airbnb que alugamos tinha um condomínio muito legal, então na parte da manhã ficamos conhecendo os diversos espaços, a sala de yoga, mirante, academia, área da piscina, e tudo mais. Após isso, fomos para a feirinha da Praça Osório, não consegui descobrir o nome dessa feira e apelidei ela de Feira das Nações hahaha porque nessa feira existem várias barraquinhas, cada uma de um país ou estado brasileiro. Tem diversas opções de comida e um preço super camarada.

Nós escolhemos almoçar na barraquinha da Polônia, eu pedi um pirogue recheado de batata e ricota com molho de champignon e molho branco e também uma porção de batata frita, o total foi R$15 e gente, eu quase não aguentei comer tudo. Era maravilhoso! De sobremesa eu comprei uma cocada de leite condensado na barraca da Bahia, porque um docinho depois do almoço faz bem demais!

Depois de almoçar, fomos no Mercado Municipal de Curitiba dar uma voltinha. Ele é um mercadão como os outros e muito bem organizado! Tem diversas lojas, tanto de produtos naturais até frutas e cachaças. Comprei damasco para comer de tarde porque eu amo! <3

Após isso fomos para o nosso studio aguardar o pôr do sol. Eu AMO pôr do sol! E no nosso prédio tinha um mirante no 31º andar! Ficamos lá admirando o sol indo embora. E confesso que foi um dos mais bonitos que vi até hoje.

Depois de aplaudir o por do sol, fomos para um boteco chamado Barbaran Bar. Que ganhou 5 estrelinhas minhas! O bar é um boteco legítimo, cadeiras, decoração, estilo. Ele fica em um beco! Nós pedimos 1 porção de batata frita com queijo, 1 sanduíche vegetariano para mim, 1 pão com bolinho pro Bruno, uma porção de bolinho de  parmesão (DELICIA) e várias cervejinhas. Todas as comidas foram ótimas, e o ambiente é muito legal. E o preço muito justo! Para vocês terem noção, a porção de batata frita era R$12,50!


DOMINGO

Já estamos no último dia, tivemos que fazer o check-out as 10h, então tivemos que sair de mala e cuia por Curitiba. Fomos para a feirinha do Largo da Ordem! Lá tem diversas barracas de artesanato, comida, barracas de antiguidades, barraca de mochilas, tapetes, esculturas, tem de tudo! E é gigante, é feira que não acaba mais. Tem até atividades para a comunidade, como meditação ao ar livre!

Após passear pela feira, fomos novamente na feira da Praça Osório (sério, nós amamos demais). Só que dessa vez comemos em barraca diferente, almoçamos na barraca da Bahia! Eu pedi bobó de camarão, e de sobremesa uma tapioca de coco com leite condensado. Maravilhoso! Depois de encher a barriguinha, andamos pela cidade para matar um tempinho até a hora do nosso ônibus de volta.

Curitiba é um cidade ótima. Com diversos lugares para se conhecer, pontos turísticos diferentes e super interessantes. Já tenho uma lista dos próximos lugares que irei quando voltar lá!

Espero que tenham gostado do post! Qualquer dúvida de como ir para esses lugares, é só perguntar aqui.

Até a próxima quinta.

5 cidades para visitar no inverno

Ontem o inverno chegou com tudo! Pelo menos aqui no sul, o inverno já começou há duas semanas. As temperaturas caíram, e teve cidade aqui em Santa Catarina que chegou a nevar. E nesse clima de friozinho, chocolate quente e coberta, trouxe pra vocês 5 cidades para visitarem no inverno. Eu sei que é dificil sair da própria coberta para conhecer um lugar que provavelmente será mais fria que a sua cidade mas vale a pena. Inverno é uma estação linda, principalmente quando o sol+frio se unem com o céu azul.

1 – GRAMADO

Uma das cidades mais conhecidas nos roteiros de inverno, a queridinha Gramado está no topo da lista. Não por ser a mais linda mas porque eu já visitei. E vale muito a pena! A cidade é linda, as atrações turísticas também. O preço de lá é um pouco salgado como qualquer cidade turística mas vale a pena conhecer. Minhas sugestões são: Snowland (principalmente se você nunca viu neve!), tomar chocolate quente na Lugano, Museu de Cera, Bar de Motos e a pizzaria Cara de Mau. Também existem vários restaurantes que oferecem fondue e são uma delícia.

2 – CANELA

Já que já citamos Gramado, vamos esticar até Canela. É praticamente do lado e tem uma das igrejas mais bonitas que já conheci, é lá que existe uma rua com guarda chuvas pendurados, bem bonita. A cidade abriga a mais alta cascata do Rio Grande do Sul, a Cascata Caracol.

3 – CAMPOS DO JORDÃO

Um cidade romântica e cheia de amor. Lá existe arquitetura ao estilo alpino, com vários restaurantes aconchegantes e uma das cidades mais frias do estado de São Paulo. Além de ser uma cidade que você possa comemorar o aniversário de namoro, também pode combinar de viajar com os amigos pois lá a vida noturna é agitada.

4 – SÃO JOAQUIM

Essa é uma das cidades que ta na minha lista para eu conhecer por ser perto de onde eu moro. Lá existem vários relatos sobre neve, o que torna a vontade de ir ainda maior. Eu já vi neve, mas fora do Brasil e gostaria de ver no meu país natal! É cercada de natureza e existem muitos pontos para você visitar, como a Pedra Furada e a Serra do Rio do Rastro, e muitas vinícolas.

5 – MONTE VERDE

Nas minhas pesquisas foi uma das que me chamou a atenção, uma cidade de Minas Gerais. Quando eu visitei Minas (você pode ver os posts da minha viagem mineira clicando aqui) o calor estava sempre presente, então imaginar Minas Gerais fria na minha cabeça é difícil! Monte Verde é uma cidade em meio as montanhas, com atrações em meio a natureza como tirolesa, passeio a cavalo, trekking e arvorismo. Tem um grande mercado de queijos, artesanatos e doces!

Agora é só preparar a mala com casacos, luvas e cachecol e programar para onde você vai!

1 beijo e boa quinta gelada!